LOUCURA


1004869_622470057836820_8961455843209186848_n (1)LOUCURA
Disciplinais-me, ó Homens superiores?
Sou a selvagem do vento e deste Tempo,
Da Fé que arrotais, ó Senhores da soberba torre.

Vestida de silêncio permaneço,
Embriagada na chuva
Que a seca não permite, empalideço.
Sustentai-me esta maldição desfeita em agonia
Como a alegria que esvoaça
E que jamais tirei.

Inércias de álcool, ou lamentos
Quimeras ou desalentos,
Instantes em que todas as gaivotas partem do Cais.

“Millenium” de feridas vozes
Entre os beirais
Sublimação de paz.

Ai, mortos de minhas preces benditos,
De minha alma aflitos,
Vinde!

Sou a selvagem deste Tempo,
Catarse de ti, meu amor,
Do vinho de mim,
E do sangue de todo o desalento.

© Célia Moura, in “Enquanto Sangram As Rosas…”
(Colin Staples Painting)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s