soneto 29


JoaquimPessoa-contactosoneto 29
“Meu Deus!, a fazer sonetos destes
como quem bebe um copo de água suja! Fuja, leitora de tal coisa, fuja
antes que a lama lhe salpique as vestes.

A poesia deve ser sempre tão pura que não macule a língua dos poetas cujo verso é o silêncio dos ascetas buscando o nirvana em literatura.

Por isso, querida amiga, leia aqueles que não fazem sonetos baixos, reles, usando o palavrão, a obscenidade.

Os que são tão educados quanto podem, os que só escrevem, os que nunca fodem com medo de emprenhar a dignidade.”

Joaquim Pessoa – “Guardar o Fogo”
(Ilustração – David Telley Photography)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s