O CIRCO


63367_609528875797605_1038872455_n (1)O CIRCO
Que puta de bebedeira
te faz arreganhar os dentes
de soslaio,
arrancar o riso
às flores
converter-lhes a raiz
em pó de cinza?

Que filha de putice
insane,
bárbara,
profana e vil
é esta
à qual chamas
de “emergência social”,
o tanas?!

O circo arde,
seu palhaço-mor é morto.
e até suas trapezistas,
já perderam toda a graça
pois o elefante que as transportava no dorso,
por ironia, ou não,
deixou-as cair em desgraça.
O ilusionista, esse da sua cartola
já só retira pássaros mortos
que me veem cair no regaço.

Diz-me lá então ó lusa pátria
quem somos nós agora,
porque a algazarra é tremenda,
todos se vendem, tudo se compra,
o circo arde em Assembleia,
e eu nunca vi tanta puta junta!

© Célia Moura – 06.07.2013
(Imagem – Aurelio Monge Photography)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s