Para ninguém poder ver o meu fundo íntimo


“Para ninguém poder ver o meu fundo íntimo e a minha última vontade, inventei o longo e claro silêncio.”

Nietzsche (‘Assim Falou Zaratustra’)

Anúncios

5 pensamentos sobre “Para ninguém poder ver o meu fundo íntimo

  1. Bom dia Darlene Faria, confesso que sou suspeita para falar de Nietzcshe e da extensa Obra que nos deixou, porém recordo-me a primeira vez que li “Assim Falou Zaratustra” – teria provavelmente uns dezoito anos. Tinha trazido da Biblioteca local e achei-o formidável.

    Aquilo tudo para a minha jovem cabeça com uma ânsia de conhecimento louca, totalmente inadaptada à sociedade, digamos que “ferveu” em mim. Durante a vida voltei sempre a ler partes desta Obra, mas cheguei à conclusão assim como com outras Obras, que por ser tão especial preciso tê-lo na mesa de cabeceira sempre.

    Um abraço.

    C.M.

  2. Este é o livro do mês de abril na minha lista anual de leituras… Tenho que confessar que li, amei, porém infelizmente não “digeri” completamente a mensagem! Complexo e profundo!

    Abraços

  3. pessoalmente compreendo eu bem tal, ou não me auto proclamasse «simpático sociopata» por natureza e feitio 😉

  4. Um caminho anti-social do qual discordo. Também eu sou calado, mas queria-me um pouco mais falador.

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s