A SOLIDÃO DAS SEREIAS


13466497_1323247471022020_5090473481425692038_nA SOLIDÃO DAS SEREIAS
É grito de exaustão
essa onda suicida
violenta,
porém bela
num derradeiro beijo
à imponência dos rochedos.

São apenas lágrimas amarrotadas
num soluço,
contido no peito de uma gaivota.

Onde está
o dilacerado amor,
outrora rindo alucinado?

Que linguagem enfatizam
os corpos amantes,
ecoando ira
na breve enseada?

Perpétuas alucinações rodopiam
na chuva,
que reabre epopeias remotas,
na saudade das sereias
colhendo aos molhos,
silêncio,
entre corais.

Acariciam promessas vãs,
nos véus de grinaldas apetecidos
São apenas quimeras
de incompletas mulheres,
esculpidas em hinos,
no Desejo
e no abandono pérfido,
jamais compreendido!

© Célia Moura – in “Jardins Do Exílio” – Ed 2003
(Ilustração – Mitologia Grega)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s