Meu vértice de loucura


10380302_650189025064923_7095695911400828259_n (1)Meu vértice de loucura,
Expoente de ardentes lilases
Entre os penhascos,
Minha casa na berma da ternura
Beijando tua ausência de tormento…

…se eu for ânsia a renascer madrigais de suplício,
Afaga-me!

Se eu for peregrina em terra alheia,
Sobrevive-me!

Se minha alma vibrar a ascese prometida,
Grita-me a humildade
Nos olhos de todos os mendigos
Dormindo condenação em pranto pelas praças,
Mas se eu somente for nudez exposta ao vento,
Acolhe-me os estilhaços da agonia breve…
…chora-me em alegria, meu amado,
Perante a magnificência Divina,
Proclamada Liberdade,
Em cálido regaço,
Minha casa!

© Célia Moura, in “Enquanto Sangram As Rosas…” (14/05/2011)
(Emilia Wilk Painting)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s