Se me entranho


10897117_759970234086801_6187231050941224468_nSe me entranho nos teus cabelos
É porque teu odor me chama
Como quem implora por água
E eu tenho sede meu amor,
tanta sede!

Trago represas que só em ti explodem
E cântaros de barro nas palavras.

Trago minhas mãos de sempre
E tudo o resto é nudez e música debruada a silêncio.

© Célia Moura – poesia (03/01/2015)
(Pascal Chove Painting)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s