Sou assim tipo brincadeirinha


mulher-andando-pro-marSou assim tipo brincadeirinha que te distrai
E daí?

Minha foz é paz que não alcanças
Até poderia ser
A confeitaria onde te lambuzas de natas e café
De whisky e cerveja,
Mas estes dois lados da rua que nos separam
Serão nosso maior abismo.

Ténue linha onde derramei um balde despejado de coisa nenhuma.

Eu sou a ribeira que seca no Verão
Que desaguará no rio
Tu o fogo que se limita a lamber minhas margens
Meus pedaços!

© Célia Moura, poesia a publicar (Agosto de 2016)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s