Se ao menos eu conseguisse escrever


12074813_880604691988466_3718713104724928469_nSe ao menos eu conseguisse escrever
Este sangue que não verte para lado algum,
Esta chuva que não me molha a exaustão do rosto
Este esgar no esófago!

Pudesse eu descrever o grito
Esse odor a ti rejeitado
Porém consentido
Esta libertação rasgada
Num voo de ave
Enquanto desnudo a noite
No silêncio
Eternizando a Alegria
Nos olhos de minha Mãe
Plena catarse de nós.

© Célia Moura, a publicar  (4 de Outubro de 2015)
(William Oxer Painting)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s