APOTEOSE


5591_479600218790472_1946899085_nAPOTEOSE
Nada mais sei que a loucura das vagas pela madrugada
Deste Inferno!
Nada mais sei que a Despedida de todas as mãos acenando
Ao vento
Como um lamento!
Nada mais sei que a tortura do Amor maior
Que me estilhaça o ventre, permanentemente
Quando no esplendor de mim
Agarrei as mágoas como um condão divino
E as tentei cantar qual louca epopeia
Entre meus próprios roseirais de espinhos já maduros.

Nada mais sei, que sei
Que não é possível ir mar adentro
Sem naufragar,
Quando a loucura vem beijar esta plenitude de mim
Estes estilhaços!

E de mãos dadas me leva através de todas as despedidas
Meu amor!

E, espero que todas as flores me sorriam ainda,
E as crianças bradem mais um hino de mãos dadas,
Com as minhas, ao céu erguidas,
Só depois ousarei
Despedir-me de ti!

© Célia Moura – “Enquanto Sangram As Rosas…” (23/08/2011)
(Imagem – Hamish Blakely)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s