Recomeços


10403072_772368079513683_8994118234015670737_n Recomeços
Meu recomeço é do fim
Regresso no voo das aves migratórias
Que fazem ninhos
Nas escarpas dos teus olhos. 

Não me digas mais palavras
Que as não quero!

Tenho as mãos vazias de alegria,
Côncavas de promessas
Numa tela absurda
Onde vibram candelabros de miséria.

Sinto os bolsos rotos onde dantes guardava
Insanidades,
Safiras de desejo embrulhadas
Em beijos.

Regresso calcando o Ocaso
Numa sonata de Beethoven
Lembrança de todos os gestos
Para em desdém ser o mais obsceno
Do teu mais além…

…Escancarar-te no rosto
Todas as estridentes portas
Ofertar-te as chaves da minha melhor casta
Exorcizar essa altivez numa gargalhada
E rodopiar como uma folha de Outono ao vento
Pelos suaves ombros da madrugada …

© Célia Moura – a publicar (29/01/2015)
(Mecuro B Cotto Photography)

Anúncios

2 pensamentos sobre “Recomeços

  1. Bom dia bellaespiritu, só lhe posso dizer que fico imensamente grata e tenho um carinho enorme por seu País Argentina.

    Um abraço de Lisboa.

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s