Desço pelas virilhas que já ousei morder


13177393_988407147874886_3643182013860492465_nDesço pelas virilhas que já ousei morder
e à evocação dos corpos bailando
na eira.

Teu prazer será sempre meu regresso
embriaguez que me aquieta
tua boca, essa fonte onde se incendeiam girassóis
e ninhos de andorinhas.

Sabes-me a trigo e mel no alpendre das manhãs.

© Célia Moura, a publicar “No Hálito De Afrodite” (09.05.2016)
(Benoit Courti Photography)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s