Ouviste vós a lânguida bruma


13439159_1015933785122222_2731501890732881799_nOuviste vós a lânguida bruma
no ressoar nocturno
do silêncio?

Que viagem vos trouxe
o pensamento adulterado
em desconhecidos gritos?

Estais vós aqui?

De que sorte,
de que ventos vos lamentais continuamente
em pálidos gestos incontidos?

De que pranto sois,
e que pranto contém o mar?

Na imensidão do azul,
estou,
no gemido do piano,
grito,
eu Sou! …

À Luz que jorra em cascata,
deste céu em fogo,
ofereço meu corpo,
atormentado transe rodopiando soberbas flores
na estratosfera.

Uma esfinge de pedra sensualizada,
adormece,
no hálito da espera,
inerte,
como um lamento doce
no mármore do soalho.

© Célia Moura – in “Vestida De Silêncio” – Ed 2000 – 28/06/2016
(Ilustração – imagem “Google”)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s