Meu rio

10152626_624529277630898_5172099969694392557_nMeu rio
Nasceram-me os poemas indecisos entre os dedos
como num sismo beijado de Primavera
e com a ternura de um novo amanhecer
sempre desejado
como quem anseia o alimento
e a água para se saciar,
revolvi a terra com as mãos,
senti-lhe o pulsar do coração
dancei na eira,
fustiguei o joio
pulei no fogo da minha própria inquisição
e pari lírios nas margens do rio.

Um dia, regressarei para adormecer no seu leito.

© Célia Moura – A publicar – “Terra De Lavra”
(Daniel Gerhartz Painting)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s