Deixa-me ficar pousada entre o teu corpo


deixa-me-ficar

Art/e (c) Antoine de Villiers Painting

Deixa-me ficar pousada entre o teu corpo
E a água tombando pelos meus seios,
Enquanto o vértice da loucura nos alimenta
Na fronteira dos segredos.
E, ainda que eu queira despertar,
Não permitas,
Porque a poeira que baila entre os sentidos
Me apagaria da memória o som dos teus gestos.

© Célia Moura – (Menção honrosa – 3.º Prémio Literário Irene Lisboa – 2010 – Câmara Municipal Arruda Dos Vinhos) – In “Enquanto Sangram As Rosas…” (p. 53), 2010
(Antoine de Villiers Painting)

2 pensamentos sobre “Deixa-me ficar pousada entre o teu corpo

  1. Não li esse livro,por isso não posso fazer a minha crítica,mas gosto muito dos poemas desta grande Poetisa!

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s