Sinto-te como se mergulhasse


Sinto-te como se mergulhasse
Os afectos
Numa cachoeira
E brincássemos como irreverentes crianças
No cristal de nós
E na descoberta dos corpos
As primeiras carícias,
Os meus seios descansando
No teu ventre
Nossas bocas brincando
Teus dedos entrelaçando os meus.

Amo-te
Como se fosses meu início e meu fim
Âmago e quimera,
Raminho de alecrim…
Eu, uma louca malabarista rodopiando nos teus cabelos…

Sabes amor,
Não existem regressos para os que não querem voltar
E o céu está rasgado de andorinhas.

(©) Célia Moura – 03.V.2014 – Poesia
(Nicholas St.John Rosse Painting)

Anúncios

Um pensamento sobre “Sinto-te como se mergulhasse

  1. Ao ler este teu poema ” SINTO COMO SE MERGULHASSE” parece-me mais um poema de amor para alguém que começaste a amar e que o teu amor levou-te até ao fim com ele dentro do teu coração.

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s