A Arte nunca foi nem poderá ser limitativa


A Arte nunca foi nem poderá ser limitativa

Tenho imensos defeitos, mas existem situações básicas na minha formação pessoal que me impediriam de escarnecer acerca de qualquer expressão artística, muito menos magoar de forma gratuita o seu Autor.

Sempre consegui conviver e opinar (quantas vezes em silêncio) com vários estilos artísticos, independentemente das minhas considerações. Isso só me enriqueceu e enriquece.

Lamento pois, pelos que afirmam apreciar a Arte, limitando-a a uma espécie de egocentrismo, que considero patético, como se tal pudesse suceder na realidade.
A Arte é um grito de liberdade!
Está e sempre esteve presente em todos os locais.
Preferível será ignorá-la do que ousar limitá-la (e por aqui me fico)!

© Célia Moura (17.08.2017)
(Pintura – Retrato de Charles Baudelaire por Gustave Coubert)

Anúncios