ELOGIO À VIDA


elogio-à-vida

Art/e (c) Alecu Grigore Photography

ELOGIO À VIDA
És total loucura, ó vida maluca,
Trôpega e rude!
Grotesca, porém bela!

Não te designo por Mãe,
Pois que jamais o foste!

Ouso chamar-te louca!

Não te importas, pois não?

És tudo, e francamente não passas de nada!

Sou eu que te alimento,
Sou eu que te grito,
Que és alguém!

Ó embriaguez de seiva e sangue,
Como és venusta!

Lauta, por vezes,
Entre cordões de ouro, plumas e seda.
És diamante, púrpura, chocolate,
Ácido sulfúrico.

Não!
Nunca foste minha minha Mãe!

És pura loucura,
Ó sorridente mentira
Qual hiena prestes a atacar!

És tão somente cântico de sereia em alto mar,
Ó trôpega maluca!

© Célia Moura – in “Enquanto Sangram As Rosas…” (p. 39), 2010
(Alecu Grigore Photography)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s