A Marielle Franco


A Marielle Franco

Este trapézio onde me ergo
não passa daquela linha de infinito
onde sempre me reencontro
e todas as desajeitadas piruetas
onde me desfaço
são tua voz a dizer basta!

Quem sabe um dia ensurdeçam as vozes
em profecia de tantos,
e num grito de ousadia
trilhado para lá do horizonte
se ergam os espíritos dos predestinados
ao Amor e à vitória.

© Célia Moura (21.03.2018)