A JORNADA


a-jornada

Art/e (c) Francis A. Willey Photography

A JORNADA
Tenho o corpo aberto
Em chaga.

Tragam álcool puro
Para a jornada
Que é longa!

Tenho o riso enclausurado
Nos becos de uma promessa.

Tragam gargalhadas armazenadas
No baú de prata
Que o circo anuncia a chegada!

Tenho um poema asfixiado
Na garganta,
De sangue sufocado.

Tragam mel,
Tragam bastante,
Que as palavras são amargas!

© Célia Moura, in “Jardins Do Exílio”
(Francis A. Willey Photography)

Anúncios

Um pensamento sobre “A JORNADA

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s