Se Eu Fosse o Teu Poema


Art/e (c) Monika Luniak painting

Art/e (c) Monika Luniak painting

Se Eu Fosse o Teu Poema
Ah se eu fosse poema
Haveria de te degustar amada minha
Inteira tal como um trago de aguardente bem velhinha,
Sugar teus poros como aquele que se excita
Na prostituta mais imunda torneando a estrada
Como se torneasse teus mamilos
E ainda que viessem ninfas e
Orquídeas pelo meu sexo acima
Que me importaria!

Que teu corpo fervilhasse sevilhanas
Pelo dorso das colinas
Enquanto em ti esfinge amada
Saboreasse a doçura do mel.

Ah meu amor, se eu fosse poema
Não haveria fome,
Tua camisa de algodão seria puro cetim
Jamais chorarias pelas crianças que não consegues enlaçar
Enquanto me renderia ao campo de papoilas
Que trazes no olhar.

Sabes mulher,
Se eu fosse poema, o teu poema
Inaugurava-te para sempre êxtase
Meu leito de rio.

© Célia Moura  – in “No Hálito De Afrodite” (p. 13) – Out./2018
(Monika Luniak painting)

5 pensamentos sobre “Se Eu Fosse o Teu Poema

  1. Muito bom! Perfeito! Ótima descrição do amor, da plenitude e da generosidade. (Pelo menos, foi o que entendi, kkkkk)

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s