Deixa-me sorrir


deixa-me-sorrir

Art/e (c) Emerico Toth painting

Deixa-me sorrir
No ventre deste grito
E silenciar o âmago
Da paixão
Vértice supremo
De minha púbis
Entre teus dedos
Só para
Inventar rubis
Nos olhos de Afrodite
Essa tua loucura
Púrpuras rosas
Em minhas coxas
Prenhes de platina,
Lapidadas de infância
E de cetim,
Brocado de risos pelas vielas
E néctar de ti.

© Célia Moura – in “No hálito de Afrodite” – Out./2018
(Ilustração – Emerico Toth painting)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s