Reaprendo a dor da tua ausência


Art/e (c) Ron Di Scenza Painting

Reaprendo a dor da tua ausência
nos olhos aflitos das crianças
que carregam no âmago
a fome
de uma pátria ferida,
e soletro sílaba por sílaba
o teu nome
na enseada onde se deliciam fantasmas
oferto-te meu corpo nu,
neste ventre de outono
onde todas as sorridentes pétalas da Primavera
em que nasci
me fazem arder no sangue,
a luxúria
e a decadência.

Mas eu continuarei a ser terra de abrigo,
terra de ti
à espera da lavra.

© Célia Moura – A publicar “Terra de Lavra”
(Ilustração – Ron Di Scenza Painting)

Anúncios

Deixar um comentário:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s