Poema Para Um Dia Triste


(c) “Google”

Eu queria dizer-te Mater
alvorada, raiz!

Eu queria dizer-te
lombos largos de Abril,
aconchegar nas mãos teu rosto inerte,
país!

Eu queria olhar-te outra vez,
antes do pano cair sob o pedestal
gargalhar contigo toda a futilidade
da vida
e poder dizer-te, não vás ainda,
é Primavera, os pássaros chilreiam, as flores sorriem
vem aí o tempo das cerejas.

Porém, digo-te: até sempre,
o pano caí
e existem milhares de crianças a sorrir.

em memória do meu tio João Ferreira

© Célia Moura

Anúncios