O mundo por vezes é cego e tu és tão bela/o


Art/e (c) Omar Ortiz painting

Porém, o mundo por vezes é cego e tu és tão bela/o…
O mundo obedece a um estereótipo insistente e absurdo ao qual designa de belo, e tu és tu e és única/o.
O mundo é uma mentira. Não o queiras conquistar.
Conquista-te a ti mesmo.
Continuar a ler

Anúncios

Que a nossa consciência seja como um farol


(c) “Google”

Que a nossa consciência seja como um farol que nos guia em alto mar, que a nossa essência nos liberte para podermos sair e entrar tanto do palácio como do casebre,que a guilhotina da vida corte somente a erva daninha onde germina nossa semente. Continuar a ler

Celebremos a Vida – Paz, Saúde & Amor – 2019!


(c) “pixabay”

Celebremos a Vida – Paz, Saúde & Amor – 2019!

Celebremos o momento presente, pois o que ficou lá atrás só serve mesmo para que retiremos daí os ensinamentos que aprendemos e o futuro apesar de incerto está sempre a dizer “presente” perante os ponteiros do relógio que não cessam e entretanto já tudo se tornou passado, mais uma vez. Continuar a ler

Poderão amordaçar minha boca


Art/e (c) Omar Ortiz

Poderão amordaçar minha boca, algemar minhas mãos e ferir meu corpo, tudo em vão!

Posso passar por todas as humilhações em silêncio e devastada por momentos me arrastar moribunda, mas jamais saberão que sou raiz de árvore ancestral, jamais saberão quem sou ou o que penso verdadeiramente, tal como nunca saberão que por vezes preciso ir ao chão para me tornar pequenina semente e renascer esplêndida flor. Continuar a ler

Se na purga por onde tiveste que caminhar


Art/e © Leszek Paradowski Photography

Se na purga por onde tiveste que caminhar conseguiste discernir o que teve maior impacto.
A pedra inocente erguida pela mão feroz que te aniquilou os sentidos, ou as mãos estendidas que cuidaram e te amaram incondicionalmente como uma flor, aceitando a rajada da pedra ou o beijo do bisturí, como Destino. Continuar a ler

Para quê dormir se tenho toda a eternidade do que sou


(c) “Google”

Para quê dormir se tenho toda a eternidade do que sou, do que poderá existir para além disto aqui, para o fazer?

Quem me dera trabalhar sempre sem parar, sobretudo no que tanto me dá prazer, a arte, a comunicação e o marketing.
A venda por objectivos, os desafiosconstantes. Continuar a ler