O maior grito é o que já não se consegue gritar


Continuar a ler

Anúncios

É tão fácil amar a matéria


Art/e (c) Antonio Tamburro Painting

É tão fácil amar a matéria, o artifício, o que é falso desde que seja agradável aos olhos.
Vive-se na feroz competição do belo, do silicone, do botox, da cirurgia estética para retirar, para encher aqui e acolá, da tinta para pintar, do descolorante para descolorar e voltar a pintar,do cabelo que ontem estava pelos ombros e hoje miraculosamente está pela cintura, era liso ficou ondulado…
Vive-se a Era objecto plástico capital! Continuar a ler

A minha essência é esta


(c) “Google”

A minha essência é esta, aquela que sendo livre esvoaça pelo precipício jamais perdendo o equilíbrio. A mesma que bastando uma forte rajada de vento se vislumbra caída pelo chão à mercê de toda a intempérie para voltar a se erguer, tomar o pulso ao abismo, olhar no espelho a desconhecida visão de si mesma para se entregar mais uma e outra vez numa consecutiva dança onde só a alma se eleva à ascese prometida em cálices de liberdade. Continuar a ler

Quando a lucidez do espírito te impedir de seres livre


quando-a-lucidez

Art/e © Simone Held Photography

Quando a lucidez do espírito te impedir de seres livre, te impedir de sorrir e te atrofiar de tal modo que julgas enlouquecer como todos os outros que te cercam, pára!
Embriaga-te nem que seja por um dia!
Não derrapes no abismo da loucura. Continuar a ler

Se tens saúde és rico


(c) “pixabay”

Se tens saúde és rico.
Se para além de teres saúde, vives rodeado de paz e sabedoria de maneira tal, que consegues lidar corajosamente com os maiores infortúnios da vida, és não só riquíssimo como poderoso.
E se possuíres alguma fortuna e dela tiveres a capacidade de a conseguir partilhar com os que pouco ou nada possuem, então bem-aventurado sejas, és um sábio visionário! Continuar a ler

Não abras a boca, não faças nada


não-abras-a-boca

Art/e (c) Andy Prokn Photography

Não abras a boca, não faças nada, não opines coisa alguma, não chores, nem sequer sorrias, e muito menos te mostres.
Acautela-te como se todos os dias aprendesses a gatinhar.
Tudo em ti, o que és, e principalmente o que nunca serás, será barbaramente julgado e suficiente para criares grandes inimizades.
Limita-te a existir ou serás aniquilado. Continuar a ler

Não ouses perturbar meu coração


nao-ouses-perturbar

(c) “Google”

Não ouses perturbar meu coração, penetrar na minha dor ou na minha alegria!
Não ouses coisa alguma.
Não te atrevas em me provocar, porque na primeira cópula beberei teu sangue com requintes de uma louva-a-deus e com ele desenharei o nome de teus filhos que de mim hei-de gerar! Continuar a ler