O mais miserável dos Homens não é o pobre que passa todo o tipo de necessidade


Art/e (c) Aurelio Monge photography

O mais miserável dos Homens não é o pobre que passa todo o tipo de necessidade, aquele que mal consegue sobreviver com dignidade numa sociedade dita Democrática, mas sim todo aquele que o condena a essa condição.
Esse sim é miserável! Continuar a ler

Todos nós passamos por momentos de tal desespero…


(c) “Google”

Todos nós passamos por momentos de tal desespero que não sabemos o que havemos de fazer.
Não façamos nada!
Aprendamos a ser como a natureza observando-a em silêncio
pois também nós somos parte dela. Continuar a ler

Abençoado sejas ó criatura humana


(c) Pixabay Photography

Abençoado sejas ó criatura humana se nenhum dos bens materiais que possuis te define enquanto ser social numa época de aparências!

Abençoado sejas quando o teu próprio corpo que não passa de matéria se sentir em paz com o teu espírito em qualquer vicissitude da existência. Continuar a ler

Vida, Amor & Liberdade


(c) Pixabay photography

Vida, Amor & Liberdade

Sonho com o dia em que a ciência e a medicina estejam de tal modo avançadas que se possam fazer transplantes hoje impossíveis, tais como transplantes de olhos, coluna entre outros, assim como sonho com o dia em que até o cancro mais mortífero possa ter cura, sem os horrores da quimio e da radioterapia. Continuar a ler

Quem eu sou?


Foto by ‘a gota’ – autoria Mané Catrino

Quem eu sou?
Serei sempre aquilo que não fui e de que tanto me julgaram, a vida onde não coube e todas as vidas que vivi erradamente.
Sorrindo inventei marionetas malabaristas, poemas e fui feliz nas margens.
Viver foi sem dúvida a maior provação que encontrei porém sou grata. Continuar a ler

Se ao menos me incendiasses de beijos


(c) “Google”

Se ao menos me incendiasses de beijos e matasses de mim esta fome, mas solidão a minha, intensa quanto a fogueira que me atravessa o corpo inteiro e te afasta para longe, tão longe meu amor da súplica deste meu olhar…

Abençoada seja a cinza do que serei para me poderes sobrevoar. Continuar a ler

Não me julguem


Art/e (c) Lyse Marion Painting

Não me julguem, porque eu sou o alimento das sanguessugas felizes, e ando por vezes tão ferida domesticando feras, me colocando bem defronte a elas, sorrindo, sabendo que de seguida serei abocanhada, mas também sei que um dia essas mesmas feras me virão lamber as cicatrizes. Continuar a ler