ALDEIA [Poesia-Dita]


Poema de © Célia Moura – dito pela própria
Continuar a ler

Anúncios

Não tenho tempo!


(c) “Google”

Não tenho tempo!
De que me servem todos os sonhos
Que agarro num grito,
Que abraço como um filho
Nas entranhas
Se tudo é tão possível assim,
Mas para mim não?!

De que me servem as açucenas
Com que minha Mãe
Em segredo
Me devotou ao Divino,
Se Ele sempre me liberou Continuar a ler

Venho do profundo mar de acácias


Art/e (c) Anja Milen Photography

Venho do profundo mar de acácias
Dos sulcos cravejados a odor
De compaixão
E da insanidade dos teus braços.

Venho da noctívaga força dos orixás
E do fragmentado desdém lançado
Ao rosto dos Homens.

Hibernei nas palavras, nas mãos que beijei, no caminho que não ousei… Continuar a ler