A azinhaga dos sonhos


Art/e (c) Emmi Luck Photography

A azinhaga dos sonhos
É repleta de portões
Meu amor,
Tão cerrados
Quanto as mãos que se erguem contra a fome…

Sempre as mesmas máscaras malabaristas,
As mesmas hienas tão sorridentes, Continuar a ler

O Sal da Terra


sal-da-terra

Art/e © Jokin Romero Photography

O Sal da Terra
Nós somos as vozes da jornada,
A erecção dos cravos ao som da guitarra, do batuque,
Pela madrugada.

Nós somos as mãos que gritam em mil gestos obscenos,
A desobediência que nos foi imposta

Nós somos o sal da terra,
O hino que ainda soa e atordoa
Incrédulos ouvidos,
Trazemos a bandeira em haste
Herança de nossos pais. Continuar a ler

Absurdo de Azul e Mozart


Art/e © Aufik (A) Photography

Absurdo de Azul e Mozart
Que a noite me abrace nas cordas de um violino
e sejam rasgados todos os poemas
que nunca escrevi!
Néscios os poentes jamais celebrados
como esta multidão acutilando-se
acotovelando-se em azáfama…

Estéreis como as ruas numa noite de consoada,
mãos côncavas
de tanto entardecer na espera. Continuar a ler

Venho do profundo mar de acácias


Art/e (c) Anja Milen Photography

Venho do profundo mar de acácias
Dos sulcos cravejados a odor
De compaixão
E da insanidade dos teus braços.

Venho da noctívaga força dos orixás
E do fragmentado desdém lançado
Ao rosto dos Homens.

Hibernei nas palavras, nas mãos que beijei, no caminho que não ousei… Continuar a ler