Meu Menino Homem


Art/e (c) Antoine de Villiers Painting

Menino Homem
Vem meu menino homem,
Que te quero
Como a água cristalina das fontes
Em tarde abrasadora de Verão.

Vem, meu menino de cabelo branco
Te aconchegar nos meus seios
A transbordar mel de flores
E sussurrar passarinhos Continuar a ler

O MEU QUARTO


o-meu-quarto

Ar/e (c) Anton Ostlund Photography

O MEU QUARTO
Ai grotescas pedras do meu,
Teu, nosso caminho,
Lançadas à janela do meu quarto.
O meu quarto fechado entre quatro paredes de lágrimas.

O Caos!
Os outros!
Eu!

Ai maldição manifesta num abismo mais profundo que a própria Dor
Que me dilacera a carne
De ser absolutamente animal e só! Continuar a ler

O Corvo


o-corvo

Art/e (c) Brita Seifert Painting)

O Corvo
Quando os meus cabelos caírem defronte
Do teu desassossego,
Meu amante de improviso,
Não sou eu,
São nenúfares inquietos, porém dançando a valsa dos cisnes
Entre todo o desalento.

E, quando tuas mãos caírem no meu ventre
Inertes
Também não sou eu
É uma nuvem branca feita de esfinge
A acolher todos os amantes infelizes. Continuar a ler