VICIO DA POESIA – Alguns poemas de Célia Moura


(c) viciodapoesia.com [Niki de Saint Phalle (1930-2002), São Sebastião ou Retrato do meu amor]

Há um explícito/implícito erotismo em muita da poesia de Célia Moura (1971) que faz mover a imaginação nos territórios onde a palavra cruza o frémito do corpo:

*
Entrego meu corpo
à rebeldia do vento.
Nele me dispo, danço
e descanso.

Escolhi para trazer ao blog alguns poemas onde o caminho para a evidência da ideia global se percorre no sinuoso da palavra poética, explosiva e iridiscente, virando faiscante incêndio, quais sejam o poema Promessa transcrito à frente, ou este:

Continuar a ler

Anúncios

SUBLIMAÇÃO DO SANGUE


sublimação do sangue

(c) Arquivo & Museu da Resistência Timorense

SUBLIMAÇÃO DO SANGUE
Eis chegado o tempo da germinação!

Acordai, sublimes hastes douradas,
ao novo cântico arrebatadas,
no grito jorrando
do ventre da Terra Mãe,
do terno ventre da Terra mártir! Continuar a ler